chica.png

CHICA PORTUGAL

Pesquisa e Idealização

Chica é atriz, bailarina e produtora cultural, formada pela escola de Teatro Ewerton de Castro, graduada com Licenciatura plena em Dança e Bacharelado em Cênicas pela Faculdade Paulista de Artes em São Paulo. Locutora e dubladora pelo  Rede Senac.  

Atuou em mais de 30 espetáculos e óperas, entre eles “Visceral” de Nanna de Castro (Prêmio Zé Renato; indicação ao Prêmio Shell e Prêmio Aplauso Brasil em 2019); ópera “l'italiana in argeli” com direção de Livia Sabag (eleita a melhor ópera de 2019 Guia da Folha de SP); “Noite de Reis de Shakespeare”, dir. Ramiro Silveira (East 15 Acting School, University of Essex); Private Eyes de Steven Dietz, dir. Alexandre Tenório; Cidade dos Ladrões, Dir: Petrônio Nascimento; O Cavalo na Montanha, Dir. Paulo Goulart Filho (espetáculo de dança-teatro); Quasi, Dir: Nany di Lima; Sonho de Uma Noite de Verão, Dir: Moisés Miastkwosky; Morte e vida Severina, Dir: Bete Dorgam entre outros. Roteirizou  e Produziu os curtas-metragens “Mão” e “Fluxo” onde também dirigiu e  foi selecionado para a mostra competitiva do festival filmaê em Brasilia.

Desde 2005 atuado no campo de Pesquisa nas áreas de teatro, dança e audiovisual.  Assinou a pesquisa e produção do espetáculo “Quasi” inspirado nas correspondências trocadas entre Mario de Andrade e Anitta Malfatti originando a dramaturgia de Albano Martins Ribeiro; Pesquisou e roteirizou o espetáculo de dança-teatro “Renoir – a dor passa, a beleza fica” sobre a vida do pintor;  Com iniciativa e coprodução, comandou a pesquisa  do espetáculo Visceral, contemplado pelo prêmio Zé Renato (2018),  que tratava de temáticas como: Esquizofrenia; E.L.A.; o universo da Cracolândia e a dependência química, projeto indicado ao Prêmio Shell e ao Prêmio Aplauso Brasil em 2019. 

Está em pesquisa documental com o projeto À Meia Luz desde 2018, colhendo  depoimentos reais e conteúdo sobre Relacionamentos Abusivos sofrido por mulheres no Brasil. 

Captura de Tela 2021-03-08 às 10.08.42.

NANA DE CASTRO

Dramaturga

Nanna é publicitária, roteirista, escritora e autora teatral premiada em suas diversas áreas de trabalho. Desde 1990 atua criando campanhas, eventos e vídeos para grandes empresas e marcas. Formou- se em Psicologia e Artes Cênicas na UFM G no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Escreveu mais de 10 obras e continua criando uma média de duas obras por ano, trafegando do drama à comédia e entre linguagens artísticas diferentes. Tem uma narrativa ágil, profunda, humana o que potencializa as relações das personagens e traz ao espectador um texto poderoso, um verdadeiro deleite para nossos ouvidos e mentes inquietantes. Cinema: Com o filme "Eu Te Darei o Céu" ganhou Kikito de melhor roteiro em Gramado. Com o filme "A História Real", recebeu o prêmio de melhor roteiro na Jornada Internacional de Cinema da Bahia(1999) e também no Festival de Curtas de Santos. TV: roteirista em projetos para a TVGlobo, TVCultura, TVs Educativas e RTP de Portugal. Publicidade: Como roteirista de filmes publicitários, recebeu os seguintes prêmios: medalha de prata no Festival Internacional do México, medalha de bronze da Revista About e Prêmio Colunistas. Teatro: É autora dos textos "Vô Doidim e os Velhos Batutas" (indicado em nove categorias do prêmio Coca-Cola, entre elas, melhor texto), "O Menino que virou História" (Prêmio Usiminas de Melhor texto e indicado ao prêmio Coca-Cola de melhor texto), além de peças adultas que foram sucesso de crítica em São Paulo como "Mundus Immundus", "O Jardim das Delícias", "Eu Te Darei o Céu", “Novelo" e “A Bala Na Agulha”. Em 2019 seu texto “Visceral” , um trilher de suspense, foi contemplado no Prêmio Zé Renato, e indicado ao prêmio Shell e Prêmio Aplauso. Literatura: Tem dois livros de poemas publicados, "Perverso"e"Curto-Circuito", e um livro de crônicas, “Só as Magras e Jovens São Felizes”. Em 2016 publica seu novo livro “O Céu Não é Um Lugar” pela editora Chiado.

bruno.jpg

BRUNO KOTT

Diretor

Ator, diretor, autor e Pesquisador de linguagens multiplataforma.
Em 2017, lançou seu primeiro longa metragem, ​El Mate​, no qual dirigiu, escreveu, atuou e foi vencedor do ​Kikito de melhor ator coadjuvante no Festival de Gramado. O filme ainda recebeu menções em festivais no ​México, Colômbia, Uruguai e Argentina​. Na MTV Brasil, dirigiu 60 programas para o Prêmio MTV Miaw 2020, além da 2º temporada de Pimpa meu Feed. Para Nickelodion, escreveu e adaptou a 1º temporada do game show inédito, Além do FIltro
(adaptação Unfiltered - EUA), além de dirigir o conteúdo do Squad - Meus Premios Nick 2020. No Canal Brasil, escreveu e dirigiu ao lado de Matheus Parizi, três temporadas do programa, ​No Divã do Dr.
Kurtzman.​ Dirigiu uma das primeira obras de teatro ao vivo, online da América Latina, a adaptação da obra do autor romeno, ​Matéi Visniec​, Pandas Ou Era uma vez em Frankfurt. Apresentada na plataforma Zoom, para públicos dos quatro continentes, a experiência ganhou o ​Prêmio do Júri Popular no Festival do RJ​, além de otima recepção de público e critica. ​Em 2020 trabalhou como Professor de cinema na Casa Aguinaldo Silva de Artes, e ministrou o mini curso laboratório Símbolos e Tecnologias audiovisuais no Centro de Pesquisa Teatral no ​SESC SP​. Em março
estreia duas direções de espetáculos perfomances em vídeo, A genealogia Celeste de uma Dança, com Luciano Chirolli e Cartas na Prisão, com Chica Portugal. No cinema está filmando o documentário sobre o Padre Júlio Lancellotti e prepara seu segundo
longa, Rosário.

MARISA BENTIVEGNA foto.jpg

MARISA BENTIVEGNA

Objetos e Adereços

Iluminadora e cenógrafa paulistana, estreou no Teatro profissional em 1990.
É integrante da Companhia Hiato, como cenógrafa e iluminadora. Também integra a Banda Mirim como diretora técnica, cenógrafa e iluminadora desde 2004.
Tem ainda como parceiros de criação os diretores Cristiane Paoli Quito,
Nelson Baskerville e Kiko Marques, entre outros. Em 2015 e em 2019 foi uma das dez artistas a representar o Brasil na Quadrienal de Praga com os cenários dos espetáculos O JARDIM e ENQUANTO ELA DORMIA. Recebeu os seguintes prêmios individuais: SHELL 1992 e APCA 1992 pela iluminação de O PARAÍSO PERDIDO do Teatro da Vertigem; APCA 2007 e COCA-COLA FEMSA 2008 pelo cenário de O MENINO TERESA da Banda Mirim; COCA-COLA FEMSA 2007 pela iluminação de O TESOURO DE BALACOBACO da Bendita Trupe; SHELL 2010 pelo cenário de ESCURO da companhia Hiato; FITA 2011 – FESTA INTERNACIONAL DE TEATRO DE ANGRA – pela iluminação de MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS de Rafael Gomes; SHELL 2011 pelo cenário de O JARDIM da Companhia Hiato.
APCA 2017 pela iluminação de NERINA, A OVELHA NEGRA e pelos cenários e projetos de luz de SKELLIG, GAGÁ e BUDA. PRÊMIO SÃO PAULO DE INCENTIVO AO TEATRO INFANTIL E JOVEM 2017 pelos cenários dos espetáculos BUDA, GAGÁ E SKELLIG. PRÊMIO SHELL 2018 pela cenografia do espetáculo OS 3 MUNDOS.

bruna.jpg

ELLEN BUENO

Produtora Assistente 

Ellen Bueno é Produtora Cultural e Atriz. Produziu diversos curtas-metragens, os mais significativos foram, “Jadzia” em 2018, com a atriz Laura Cardoso no elenco, acumulando prêmios em festivais internacionais de cinema, o filme segue em circulação. O curta-metragem “Caso Leonardo” com estreia para 2021. “Não Se Trata das Cores” e “Sobre Culpa” em 2016, co-produziu “Sobre Bonecas” juntoa Lagon Filmes em 2019. No teatro, produziu o espetáculo “Jardim Ilusão” circulando por festivais importantes como o Festival de Teatro de Curitiba, Festival de Inverno em Extrema – MG, além de temporadas em São Paulo.

louis.jpg

PRIS LO

Designer

Artista visual, consultora em decoração e jardinagem afetiva e publicitária especialista em Marketing de Conteúdo.Trabalha exclusivamente com colagens há mais de 7 anos e com sua Oficina Criativa de Autoconhecimento com Colagem e Meditação há mais de 2 anos. Oficina que já foi contemplada por diversos espaços culturais e festivais, como o Pixel Show, maior festival de criatividade da América Latina. Com linguagem surrealista, Pris Lo busca em todos os seus trabalhos, estimular reflexões e sensações através da técnica da collage e psicologia das cores. 

JC190823_79523.jpg

BETO FRANÇA

Makeup Artist 

Maquiador, Caracterizador, Visagista. De origem paulistana é designer e concept de caracterização conhecido em todo Brasil. Atuante desde 1990, já assinou o criativo de inumeros espetáculos de Teatro, Ópera, Musical, Show, Cinema, Tv. É também Educador, Barbeiro, Personal Beauty; Maquilador para publicidade sendo também especialista em maquiagem Artística e de Efeitos Especiais. Formado em maquiagem pelo SENAC SP, cursou especializações na Academia Stick Art Studio
Makeup Forever Barcelona, Makeup Designor’s School (New York e L.A.), Especialista em airbush makeup e HD makeup, traz ainda em seu curriculo efeitos especiais com próteses realistas para cinema e teatro. Formação acadêmica em Artes Visuais (Fac. Belas Artes SP) e Pós graduado Cênicas (Univers. São Judas). Colecionador de vários prêmios, destaca 2 Prêmios Avon Color (2003 e 2004), 2 Prêmios Cabelos & Cia, 2 Hair Brasil. Prêmio Bibi Ferreira
2019. È também juri e curador de prêmiações como Prêmio Avon de Maquiagem entre 2013 à 2017. Entre seus trabalhos, destaque para o filme Longa: “Dente po Dente” 2021 e “Last City” 2020. Curtas “Céu de Agosto” 2021, “Candombá” 2020, “Minha Portia” 2021, “Como Segurar uma Nuvem no Chão”2020. Ibridos Teatro/cine “A Árvore” 2021.
No teatro obras como o musicais “Sunset Boulevard”, “Mágico de Oz”, “Branca de Neve”, “Peter Pan”, “Enlace”, “Tim Maia” (SP), Peças tais como “Tempo de Viver”, “O Leão no Inverno”, “Mephistopheles”,
“Jornada de um Imbecil”, “Cavalo na Montanha”, “Com amor, Brigitte” “Memórias não Inventadas”, “Inferno, interlúdio expressionista”, “Viceral”, em Óperas: “La Traviata”, “O Cavaleiro e a Rosa”, “Estação Vila Lobos”,
“L’Italiana in Algeri”.

_MG_2872.JPG

ANA LUIZA PONCIANO

Assistência de Direção

Jornalista, produtora, e nesse projeto, assistente de direção. Depois de passar por experiências como jornalista, se especializou em cultura e televisão, tendo trabalhado em alguns dos grandes veículos do Brasil como Fantástico, Jornal Nacional, MTV, Metrópoles, Netflix e Arte 1. Gosta de pensar no jornalismo como ferramenta de mudança pelo reconhecimento das mais diversas realidades, especialmente na cultura. Nas horas vagas, fotografashows no @picsofgigs_ 

debby.jpg

DEBORA MURAKAWA

Técnica de Som

Técnica de som, atua na área desde 1996 no mercado de filmes publicitários, documentários, longas metragens e curtas. Trabalhou em longas como "Elis o Filme" dirigido por Hugo Prata,"Todo Carnaval tem seu fim ", "Todas as razões para esquecer " de Pedro Coutinho , "Urubus" de Cláudio Borelli, A Série " A Garota da Moto" , "Lili a Ex, em Docs, " Com a Palavra Arnaldo Antunes ", " Já nas Bancas, " Filhos desse Solo" e muitos outros. 

foto henrique.jpeg

HENRIQUE MACIEL

Mixagem

Formado em Cinema desde 2016, apaixonado por som, atua como editor e mixador. Trabalhou em webséries e curtas metragens, entre eles ‘Jéssika’, de Galba Gogóia, que ganhou menção honrosa no Festival Visões Periféricas de 2018.

retrato_trend.jpg

LUCAS BARBI

Diretor de Fotografia 

Lucas Barbi é formado em Cinema pela Universidade Federal Fluminense, RJ, e especializado na École Nationale Supérieure Louis Lumière, França, na habilitação Fotografia de Cinema.

Ele foi diretor de fotografia de mais de vinte curta-metragens, exibidos e premiados em festivais nacionais e internacionais, e também de uma dúzia de longas, entre ficção e documentários, incluindo "Seca" (Vision du Réel, 2015) e "Futuro Junho" (Yamagata IDFF, 2015), ambos de Maria Augusta Ramos; "O Fim de uma Era", de Bruno Safadi & Ricardo Pretti (Rotterdam IFF, 2015); "O Prefeito", de Bruno Safadi (Locarno IFF, 2015); "Yorimatã, de Rafael Saar" (Havana IFF, 2014).

Recentemente, Lucas fotografou "O Clube dos Canibais", de Guto Parente, vencedor dos prêmios de Melhor Filme no Lucca Film Festival 2018, na Itália; e também "Sete Ano em Maio", de Affonso Uchôa, vencedor do Prêmio Silvestre no IndieLisboa 2019.

theo.jpg

THEO GRAHL

Fotógrafo Still

Há mais de 13 anos no mercado audiovisual, atuando como diretor em produções publicitárias, videoclipes, conteúdos de marca, vídeos educacionais para clientes como Visa, O Boticário, Lojas Renner, Azul, Latam, Instituto Península, Artesol, Fundação Lemman, Instituto Unibanco, Porvir, Ismart, Instituto Natura, Vicunha, Prefeitura de São Paulo, FNDE, Arteris, Conviva Educação entre outros.
Além de ter produzido e atuado como Diretor de Fotografia em documentários contemplados por editais como PROAC, BNDS, Prefeitura de São Paulo, Governo do Espirito Santo e Governo Federal.
Atua também como Facilitador em oficinas e cursos de fotografia e vídeo para ongs e fundações como Artesol, Fundação Lemann, Instituto Fonte e UNAS.

No Projeto "Cartas da prisão" atuou como fotógrafo still.

foto cardozo.jpeg

FELIPE CARDOSO

Assistente de Câmera

Felipe R. Cardozo, 25 anos, natural de Campinas-SP, desde muito cedo a paixão pela fotografia esteve presente em sua vida, até que aos 19 anos iniciou sua carreira como tour manager e fotógrafo com artistas da música eletrônica, aos 23 anos concebeu suas duas agências sediadas em São Paulo, Moon Production especializada em marketing digital  a Moon Rec agência full service áudio/visual

Diogo.jpg

DIOGO HAYASHI

Montador

Diogo Hayashi é formado em cinema e roteiro, em 2017 foi selecionado para o Berlinale Talents como diretor e designer de produção. Premiado com o Candango do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro pela direção de arte no longa-metragem, Temporada (Dir. André Novais de Oliveira, disponível na Netflix, 71º Locarno Film Festival). Hayashi assinou diversos longas e curtas premiados e exibidos nos principais festivais internacionais, entre eles; Luz nos Trópicos (Dir. Paula Gaitán - Berlinale 2020), Elon Não Acredita na Morte (Dir. Ricardo Alves Jr. - Rotterdam 2017 - disponível na Netflix), Exilados do Vulcão (Dir. Paula Gaitán - Melhor Filme Brasília 2013) e mais recentemente o curta A Mordida (dir. Pedro Neves Marques - Toronto Int. Film Festival, NYFF) e indicado na categoria melhor curta no prestigiado European Film Awards 2020.

Em videoclipes, Diogo fez a arte de ''A Mulher do Fim do Mundo'' de Elza Soares (Dir. Paula Gaitán com mais de 6 milhões de visualizações no Youtube) e dirigiu o clipe Kanazawa da dupla eletrônica Naked Universe. 

Como diretor e roteirista realizou o média Hannya para TV Cultura, os curtas Izamara (indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro), Fogo Selvagem (Festival Mix Brasil e vendido para a plataforma inglesa FilmDoo) e mais recentemente, ONI (Cartagena Film Festival, Africa Int. Film Festival, vencedor do prêmio de melhor fotografia no Rio Fantastik Int. Film Festival).

Em 2016 lançou a HQ, Demônio pela editora gato preto. Publicou na revista Café Espacial, edição indicada para o prêmio Angoulême e HQ MIX 2020.

© 2023 Cartas da Prisão

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone